Como Escolher o Exercício e o Equipamento de Musculação

Arnold ginásio
Sem Título-3

A escolha do exercício envolve grandes decisões, como a ação muscular e a escolha do tipo de equipamento a ser utilizado. O equilíbrio entre a musculatura agonista e antagonista é importante para a menor incidência de lesões articulares e dos tecidos muscular e conjuntivo. Seguindo essa hipótese, se houver um desequilíbrio entre agonista e antagonista, haverá uma facilitação para o surgimento de futuras lesões.

Músculo agonista é um músculo que realizam os movimentos sinérgicos (“músculos responsáveis pelo movimento desejado”).

Músculo antagonista é um músculo que “permite” a ação contrária ao movimento provocado por outro músculo (músculo agonista), isto é, o músculo antagonista é aquele que tem um “trabalho” oposto a outro músculo.

A amplitude do movimento nos exercícios geralmente deve ser total, garantindo a força e a potência em todos os ângulos articulares, não afetando negativamente a flexibilidade.

Os equipamentos de forma guiada (aparelhos com polias, guias e placas de peso) ou livre (barras, halteres e anilhas) também têm influência na prescrição adequada dos exercícios. Nos guiados, o indivíduo realiza o movimento padrão dado pelo equipamento, exigindo que a postura seja adequada para a realização eficaz do exercício; nos livres é necessário utilizar toda a musculatura para estabilizar a realização do movimento.

Portanto, é necessária uma análise crítica para avaliar os pontos altos e baixos de cada tipo de exercício, determinando o melhor tipo de equipamento e utilizando recursos que promovam o aumento da performance e a diminuição do risco de lesões.

Referências: Manual de Musculação