7 Maiores Mitos Sobre a Barriga Tanquinho

barriga-tanquinho
Sem Título-3

Nós todos conhecemos pelo menos uma pessoa que come por três e raramente levanta sequer um peso na academia, mas de alguma forma ainda consegue ter uma barriga tanquinho.

Coisas como a genética e estresse podem desempenhar um papel fundamental na perda de peso (ou ganho de peso), de modo que pode interferir também em obter uma barriga tanquinho. No entanto, os mitos e boatos sobre sua busca por um abdômen visível com certeza vai ajudá-lo a superar estas dificuldades genéticas.

Então, se você é um daqueles que treinam todos os dias para ter uma barriga tanquinho, veja a diferença entre a realidade e ficção quando se trata de alcançar aquelas tábua de lavar roupa:

Mito #1: Você Pode Sair de Sua Dieta

Se você deleitar-se consistentemente em alimentos lixo, seu estômago (e braços, dentes, pernas, artérias, a pele, etc) vão se tornar um lixo. Para se ter uma barriga tanquinho, é preciso primeiramente ter uma dieta limpa e restrita.

Mas, mesmo quando suas escolhas alimentares são restritas na ingestão de sódio para reduzir o inchaço e retenção de líquidos, suas porções e tamanhos são vitais, uma vez que ainda é possível exagerar em alimentos saudáveis. Esta é uma verdade universal: Consumir mais calorias do que você queima, você vai ganhar peso.

Mito #2: Carboidratos Impedem Ter Barriga Tanquinho

Os carboidratos são um nutriente essencial que seu corpo utiliza para ter mais disposição e energia. Portanto, os carboidratos não destroem a barriga tanquinho.

No entanto, os carboidratos dos fast-foods, como pão branco, bebidas e as batatas podem iniciar um pico de insulina que pode dificultar a perda de gordura. Consumir esses tipos de carboidratos é melhor no pós-treino, porque eles vão ajudar na recuperação.

Em vez disso, obtenha os carboidratos a partir de fontes como frutas, vegetais, legumes, arroz integral, massas de grãos integrais, feijão e farinha de aveia. Quando possível, deixe de lado os alimentos mutantes criados em laboratório com ingredientes que você precisa de um intérprete de pronunciar.

Mito #3: Flexões e abdominais São as Melhores Opções

Eles são os dois exercícios abdominais mais populares, mas estão longe de serem as únicas (e melhores) opções. Se você não quer ficar horizontal,varie os exercícios e repetições e adicione resistência e pesos para criar uma barriga mais forte e abdômen mais definido.

Mito: #4: Suplementos Ajudam a Combater Deficiências do Abdômen

Suplementos como a cafeína e chá verde tem propriedades de queima de gordura, mas eles não vão fazer sua gordura da barriga desaparecer. Infelizmente, para a maioria de nós, não há atalhos para adquirir abdômen tanquinho. Precisamos de um rigoroso regime de treinamento, baixa gordura corporal e um descanso adequado.

Mito #5: Exercícios Mais Lentos São Melhores Para Abdômen

De acordo com um estudo espanhol, os atletas que fizeram atividades musculares mais rápidas, como oblíquos externos e oblíquos internos tiveram melhores resultados. No entanto, misturar suas velocidades de treino pode ter resultados melhores.

Mito #6: Você Pode Treinar Abdominal Diariamente

Bem, certamente você pode, mas você estaria sobrecarregando seu abdômen. O abdômen é um músculo, então trate-o com o mesmo respeito que você trata seu bíceps.

Mito #7. Flexões Ajudam o Abdômen

Como mencionado, uma dieta rigorosa emparelhado com o treinamento constante é uma excelente maneira de reduzir a gordura corporal. Ficar apenas fazendo muitas flexões não vai adiantar em nada, se você não fizer uma boa dieta.

Mas tenha em mente que fatores externos também entram em jogo. Quando você está estressado, por exemplo, os níveis de cortisol aumentam. Isso pode dificultar a sua capacidade para perder peso.

Além disso, um estudo recente que apareceu no Journal of Sleep envolvendo 225 adultos descobriu que as pessoas que ficaram acordadas até mais tarde, comeram alimentos não saudáveis ​​durante as horas de fim de noite. Isto, não surpreendentemente, levou ao ganho de peso. Portanto, fique atento(a)!